quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Rua: para muitos uma moradia

Moradores de rua é o tema da coletiva de imprensa na Universidade IMES

Morador de rua não é somente a pessoa que não tem emprego, não é alfabetizado e não tem família. Pelo contrário, existem pessoas que vivem na rua simplesmente por se sentir livre, e por poder fazer o que quiser e quando quiser.

Uma grande parte dessas pessoas que faz da rua uma moradia, são pessoas inteligentes, que possuem estudo e já tiveram uma vida “normal”, isto é, com família, emprego, amigos, casa...

Foi pensando em mostrar como é a vida desses moradores, que um grupo de meninas estudantes do último ano de jornalismo, escolheu este tema para realizar o TCC – Trabalho de Conclusão de Curso.

Na última terça-feira, dia 21, elas apresentaram uma prévia do documentário cujo título é: Minha Rua, Minha Casa.

Durante a apresentação, elas relataram as dificuldades enfrentadas, as mudanças que esse documentário fez em suas vidas e a satisfação de poder mostrar o dia-a-dia dessas pessoas.

Um dos personagens que relata sua história é Sebastião Nicomedes de Oliveira, que possuía uma empresa de Comunicação Visual. Depois de se recuperar de um acidente, descobriu que os sócios haviam vendido tudo e ele não tinha mais lugar para morar e trabalhar.

Uma das questões abordadas durante a apresentação foi sobre as mulheres que moram nas ruas. As meninas explicaram que o vídeo-documentário é feito com homens porque é difícil encontrar mulheres nessas condições.

Na maioria das vezes, as mulheres são acolhidas em casas assistenciais ou hospitais devidos a transtornos mentais. “O impacto para uma mulher que vai viver na rua é muito grande. Ou ela se prostitui ou sofre abusos”, disse Juliana Couto.

Em relação às crianças e jovens, os próprios moradores dizem que eles são drogados e que é preciso ter muito cuidado com eles.
Luana Teodoro

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Texto enxuto, mas deveria identificar em algum lugar que o TCC está relacionado ao IMES e colocar o nome das autoras.