sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Dignidade roubada


Por Aline Bosio
Ninguém. É assim que eles são tratados, como se não fossem ninguém. Na maioria das vezes são ignorados e desprezados pela maioria das pessoas que fazem questão de não percebe-los em meio a correria da metrópole.
Esta é a situação de 12 mil pessoas que vivem em São Paulo em situação de rua. Muitos são pais, marceneiros, pedreiros, eletricistas e até engenheiros que, por uma briga com a família ou apenas por falta de oportunidade, têm os bancos das praças como cama, os chafarizes como chuveiro e as marquises como teto.
Há ainda aqueles que já passaram por tudo e isso e conseguiram reencontrar o caminho da dignidade. Este é o caso de Sebastião Nicomedes de Oliveira, de 38 anos, personagem principal do vídeo-documentário “Minha Rua, Minha Casa”, que teve sua pré-estréia realizada na última terça-feira (21), na Universidade Imes, em São Caetano.
Tião, como ficou conhecido quando estava na rua, era dono de uma empresa de comunicação visual e, depois de sofrer um acidente de trabalho e não ter dinheiro para pagar suas contas, optou por morar nas ruas e em albergues.
Produzido por Michelle Ferreira, Juliana Vieira, Alessandra Furtado, Daniele Garbin, Juliana Borges e Aline Dias, todas estudantes do último ano de Jornalismo, o Trabalho de Conclusão de Curso será apresentado entre os dias 16 e 22 de outubro na própria Universidade. A entrada é gratuita.
O Imes fica na avenida Goiás, 3.400.

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Texto bem poético, muito bom!