quarta-feira, 3 de outubro de 2007

MARCAS DO PASSADO

A revista Retratos traz a tona uma discussão saudável para os meios acadêmicos e a um mercado cada vez mais competitivo. Com o avanço tecnológico devido à criação da internet, as pessoas recebem um acumulo muito grande de informações, estas muitas vezes passadas de forma superficial e enxutas. Aí surge a idéia de se recriar um estilo de revista em que possa se apurar uma história com um ar diferencial do que se tem feito atualmente. Eu digo recriar por que foi justamente esta a idéia base dos alunos Caio Bruno, João Rodrigo, Marcus Oliveira, Philipe Kawakami, Renata Cataruzzi, Rodolpho Salles e Sílvia Dalpícolo, formandos do 4º ano de jornalismo da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, IMES, tiveram. Optaram por reeditar o estilo da famosa revista Realidade, o jornalismo literário. Para quem desconhece o fato, a revista Realidade foi um dos grandes expoentes do gênero que hoje não existe mais aqui no Brasil. Seus direitos de execução ainda pertencem a Editora Abril ltda, e por este motivo os estudantes foram aconselhados por seus orientadores a pensar em outro nome para sua publicação. Retratos não se inspira totalmente no passado, pois seu projeto gráfico é moderno e visa tornar a leitura agradável. A proposta visual consiste em misturar textos com fotos que possuem grande destaque, para que o leitor compreenda melhor o conteúdo da matéria. Sobre o trabalho, segundo Caio Bruno, todos os integrantes do grupo optaram pelo jornalismo impresso por acharem que era uma forma de homenagear o quase esquecido jornalismo literário. Sobre dificuldades encontradas, o grupo apontou o esquema de escrita como sintoma de maior, pois a pirâmide invertida (forma usual de escrever um texto jornalístico), é substituído pela forma literária (jornalismo misturado com um pouco de literatura). A apresentação ocorreu no próprio Imes, sala 74 às 21 horas. Contou com a presença de jornalistas e estudantes. Está de volta o jornalismo literário!

MARCOS PAULO MORENO FELIX

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Legal, mas reveja acentuação e não use primeira pessoa a não ser que seja artigo.