sexta-feira, 12 de outubro de 2007

A opção pela fé

Livro-reportagem reacende polêmica sobre limites da influência da religião e conta a vida de rapaz que lutou contra preconceitos para seguir sua crença

A discussão sobre o papel da religião na juventude sempre existiu, mas há momentos na história em que o debate se acirra. Como há seis anos, quando dois aviões bateram nas torres do World Trade Center, em Nova York.

Os seqüestrados que jogaram as aeronaves contra os prédios eram jovens, cegos pelo fanatismo religioso. É a mesma mentalidade dos jovens que amarram explosivos na cintura para se tornarem homens-bomba. Casos como esses são sempre citados como argumento contra qualquer tipo de religião.

Mas há um outro lado: jovens que escolheram seguir uma religião por opção, sem fanatismos. São esses jovens que um grupo de alunas da Universidade Imes pretende mostrar através de Trabalho de Conclusão de Curso. A pesquisa foi apresentada a alunod do IMES na última terça-feira.

O livro-reportagem é baseado em Rodrigo, evangélico de 21 anos. A história do jovem serve para ilustrar temas como preconceito e sexualidade. As alunas tiveram a idéia de realizar o trabalho, com base em dados do IBGE, que apontaram um grande crescimento no número de jovens evangélicos no Brasil.

O grupo é formado por Priscila Bertucci, Priscila Bueno, Daiana Rocha e Noemi Rocha.

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Legal, mas acerte: A pesquisa foi apresentada a alunod do IMES.