terça-feira, 23 de outubro de 2007

Estilo e saúde


A équo-terapia ganha cada vez mais adeptos e é a nova cara da medicina moderna no combate a doenças do corpo e da mente.


Por: Eduardo Chaves

As alunas Adriana Dias, Caroline Terzi, Claudia Paz, Elaine Boaventura e Luana Teodoro do curso de jornalismo da Universidade Municipal de São Caetano do Sul – IMES encararam o desafio de escrever uma revista especializada em terapia com o uso de cavalos.

A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo como principal instrumento na terapia, que traz benefícios para pessoas que possuem algum tipo de deficiência, seja mental, física, psicológica ou emocional.

Dentro deste conceito, ao criar a publicação Equo & Terapia, as alunas perceberam que estavam lidando com um mercado novo e muito próspero. “Não existe nenhuma revista que aborda este tratamento médico, queremos abordar este estudo de uma forma diferente, dando destaque para as técnicas usadas, os profissionais, os praticantes e os cavalos” afirma a estudante Elaine Boaventura.

A publicação com 48 páginas receberá 11 editorias sendo: Editorial, Artigo, Conheça, 4 Patas, Atualidade, Especial, Personagem Bate-Papo, Alternativa, Raio-X e Equro & Arte.

Segundo uma das responsáveis do projeto gráfico, Luana Teodoro a revista terá um forte apelo visual com fotos tiradas nos próprios centros visitados e também uma diagramação que propicie interesse de leitura ao nosso público alvo.

“A prática desta atividade física é incrível, o praticante vai para frente, para trás, para a direita e para a esquerda, para cima e para baixo, ao mesmo tempo. Os estímulos que ele recebe são muitos e atuam diretamente no sistema nervoso central.” Relata a integrante Claudia Paz que após estudar durante um ano o tema diz possuir material suficiente para mais uma publicação, “foram feitas cerca de cem entrevistas para compor este primeiro volume, daria para continuar com outros números da revista”.

O trabalho de conclusão de curso destas alunas recebeu nota 9.0 da comissão avaliadora, impressionando a jornalista convidada sobre a qualidade das reportagens e também da abordagem teórica sobre o assunto.

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Tem alguns escorregões na pontuação e um público alvo sem hífen, mas o texto está bem interessante.