terça-feira, 4 de setembro de 2007

À espera de um milagre

Não, não é nome de um filme. É uma realidade que aflige muitas mães. Às vezes a única coisa que resta para o bebê anencéfalo é o milagre. A anencefalia quando diagnosticada pelo médico é mortal, não há mais o que fazer. Aliás, existe a opção do aborto. Isso só para constar, pois a lei ainda pode atrapalhar nesta difícil decisão.

Como lidar com esta situação? Como se prevenir? Quem procurar? O grupo do quarto ano de Jornalismo formado pelos alunos: Marcos Félix, Ana Carla Molina, Carolina Duarte, Fernanda Lúcia e Felipe Mesquita da Universidade IMES, acharam o tema interessante e de grande importância. Assim que surgiu o documentário para o Trabalho de Conclusão de Curso: “E agora mãe? Anencefalia e o direito de escolha.

Para a realização foram entrevistadas cinco pessoas (pais e mães) e oito especialistas. O documentário será divido em três blocos:

- O que é anencefalia?
- Direito de escolha
- Prevenção

Na opinião do grupo a parte mais importante é a prevenção: “É tão fácil que é incrível um país como o Brasil ter tantos casos, é questão de saúde pública mesmo!”, reclama o estudante Felipe Mesquita. Preste atenção como é simples a prevenção e, quando estiver planejando engravidar procure um médico para fazer o pré-natal: tomar 0,04mg de ácido fólico o risco de anencefalia pode diminuir em até 70%.

Não se sabe ainda o porquê, mas em alguns lugares a incidência da doença é maior: “No País de Gales e em Cubatão existem muitos casos”, explica Marcos Felix. Também os fatores genéticos e nutricionais (principalmente a falta da vitamina B) podem aumentar o número de bebês anencéfalos.

Em Outubro, na apresentação dos trabalhos no teatro da Universidade conheça a história de algumas mães do Grande ABC e São Paulo que ainda guardam vivamente na memória, a trajetória de fazer o ultra-som na gestação e descobrir que seu filho tão desejado não viverá. E o drama da decisão entre abortar ou continuar a gravidez. O evento será aberto para o público.
Cláudia Cristina Paz da Silva

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

ótima sacada entre título e primeiro parágrafo. Só um toque: nome de mês em maiúsculas, só no português de Portugal...