terça-feira, 25 de setembro de 2007

25 ganha dossiê


por Tiago Dias

A rua 25 de março é uma dos lugares mais conhecidos do centro de São Paulo. É de lá que saem uma multidão de pessoas que, como formigas atrás do doce, saem em busca de uma pechincha.
Mas a 25, como é conhecida, guarda muitas histórias que não são gritadas pelos camelôs: as dos moradores.

Fabrício Bomfim, Kátia Lopes, Melina Cardoso, Priscila Marques, Thaiz González, Thiago Francisco e Thiago Magnani foram atrás dessas pessoas. O resultado está no rádio-documentário “Eu Moro na Rua 25 de Março”, apresentado em coletiva na última terça-feira.

O grupo, que está no 4° ano de Jornalismo do IMES - Universidade Municipal de São Caetano do Sul, conta que teve dificuldade em achar materiais que falasse sobre o assunto, o que acabou dando mais ânimo durante a produção.

A pesquisa abrangeu desde os primórdios da rua, da época em que ficava à margem do Rio Tamanduateí, até os dias de hoje, com a miscelânea que vive no local, embora a maioria seja de descendência chinesa. “Contar as histórias desses moradores foi o nosso grande desafio, afinal eles nunca foram abordados”, explica Melina Cardoso.

Com um leque diverso de fontes e sons ambiente, a 25 de março ganhará um interessante dossiê, traduzindo suas facetas e histórias.

O documentário “Eu Moro na Rua 25 de Março”, será exibido na íntegra em outubro, no IMES.

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Legal o texto... cuidado com o saem, saem...