domingo, 23 de setembro de 2007

Nem só de lojas vive a 25





Você conhece alguém que mora na 25 de março? Foi com esta pergunta que os alunos do 4º ano da Universidade Imes começaram a apresentar uma prévia do seu TCC para a coletiva de imprensa. O grupo escolheu como tema para seu Trabalho de Conclusão de Curso, não a rua de comércio mais famosa da América Latina, e sim as pessoas que moram nesta rua.

De acordo com os alunos existem muitas matérias que envolvem a 25, mas todas prontas, que abordam datas comemorativas como Natal, dia dos Namorados, Páscoa entre outros e que mostram exclusivamente as mais de 1.269 lojas, armarinhos e camelôs. Segundo os alunos, não há nenhum produto jornalístico que se destine aos moradores.

O rádio foi o meio de comunicação escolhido para a veiculação do documentário, que relata as dificuldades, facilidades e curiosidades de se morar numa rua considerada um shopping a céu aberto e que recebe cerca de um milhão de pessoas em dias festivos.

O trabalho conta com depoimentos de moradores que explicam a sensação de abrir a janela e se deparar com um mar de gente, assim como a falta que faz uma padaria, além do barulho da multidão e comerciantes.

Os integrantes Melina Cardoso, Kátia Lopes, Thaiz Gonzáles, Priscila Marques, Fabrício Bonfim, Thiago Francisco e Thiago Magnani disseram que encontrar moradores da rua foi um grande desafio, além disso, a maioria dos residentes são Chineses. O projeto apresenta também a opinião de historiadores, políticos, comerciantes, representantes da área da saúde e segurança e assistentes sociais.

O rádio-documentário “Eu moro na 25 de março” será exibido em outubro na Universidade Imes, que se localiza em São Caetano do Sul.


Danielle Busatto