segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Além de uma religião

Alunos desvendam o que existe do outro lado da clausura religiosa


Com intenção de mostrar os diferentes tipos de clausuras religiosas em diversas religiões, o grupo de alunos Aline Teixeira, Danilo Gonçalves, Karin Dalle, Kelly Lira, Larissa Florêncio, Leandro Amaral, Rafael Munhoz e Tiago Dias, idealizaram uma série de reportagens especiais para rádio, para apresentar como tema para o TCC.

O nome do trabalho é: “Do outro lado do muro – a clausura nas religiões”

O programa vai apresentar 6 religiões diferentes que possuem um tipo de clausura: Catolicismo, Anglicanismo, Hinduísmo, Budismo, Ortodoxismo e Candomblé.

Para chegar até essas religiões, os alunos realizaram uma pesquisa para saber quais as religiões do mundo, outra para saber quais as religiões do Brasil e por último quais tinham representantes no Brasil.

Assim como em muitos outros trabalhos, o grupo teve dificuldades em conseguir material que falasse sobre as religiões, então boa parte da pesquisa foi feita em campo, através de entrevistas e participação de alguns rituais.

O grupo ressalta que cada entrevista realizada foi uma aventura. Passaram por momentos de medo, tensão e alegria. Algumas vezes foi necessário realizar o ritual de alguma religião, é o que diz um dos integrantes da equipe, Leandro Amaral: “O grupo precisou fazer um ritual para conseguir algumas entrevistas”.

O programa de rádio vai ser dividido em 5 capítulos: o que é, vocação, rotina, alegrias e desafios, e saída e balanço.

O trabalho vai apresentar uma nova visão sobre o que é a clausura religiosa, pois muitas pessoas pensam que é devido um trauma ou por obrigação. “Para cada religião a clausura tem um significado diferente”, diz a integrante Kelly Lira.

O produto final será apresentado em outubro na Universidade IMES em São Caetano do Sul.

Luana Teodoro

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Olha a concordância: religiões, o grupo de alunos Aline Teixeira, Danilo Gonçalves, Karin Dalle, Kelly Lira, Larissa Florêncio, Leandro Amaral, Rafael Munhoz e Tiago Dias, idealizaram...

Para que falar duas vezes a mesma coisa? Olha só:
. Algumas vezes foi necessário realizar o ritual de alguma religião, é o que diz um dos integrantes da equipe, Leandro Amaral: “O grupo precisou fazer um ritual para conseguir algumas entrevistas”.