sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Retratos: uma nova realidade dos fatos

Abordar e aprofundar temas de diversos segmentos faz parte do projeto editorial da revista RETRATOS


A referência para a elaboração da revista estruturada por alunos do quarto ano de jornalismo da Universidade IMES foi a publicação “Realidade”. A intenção do grupo era colocar nas bancas novamente o periódico, mas como a proposta de realização do Trabalho de Conclusão de Curso é inovar, a solução encontrada foi de pelo menos se espelhar no projeto editorial.
O texto literário se faz presente na publicação com o objetivo de trazer aos leitores, o estilo pouco utilizado atualmente pela mídia. De acordo com Marcus Vinícios, um dos criadores da revista, as matérias aprofundadas, têm foco em questões humanas e fotos expressivas: “Além de serem auto-explicativas, sempre contamos histórias de vida agregadas ao assunto principal da matéria. Quanto às fotos, na Revista Realidade chegavam a ocupar páginas duplas e foi nesse projeto editorial que nós nos inspiramos. Para o texto, por se tratar de textos literários, com travessões e algumas normas a serem seguidas, nós tivemos que fazer um manual de redação próprio”.
Entre as treze editorias apresentadas (que não são fixas), a revista contém 10 matérias, um ensaio fotográfico, um perfil e uma crônica. Os temas considerados inusitados fazem parte do projeto: “É possível chegar numa revista como a nossa, entrevistar um cara que é necromaquiador, que maqueia pessoas mortas, grudar nele o dia inteiro, acompanhar todo o trabalho e desvendar o que fazer, o que não fazer, enfim, coisa que ninguém costuma ler em revistas convencionais”, diz Caio Bruno, também idealizador do projeto.
O grupo relata que entre algumas dificuldades enfrentadas, a escolha dos temas para as matérias causou preocupação. Um dos desafios era pensar em um tema específico e que não fosse abrangente e a partir daí aprofundar e oferecer um olhar diferente do convencional no trabalho.
Quando questionados sobre o espaço que a revista pode ter no mercado, tendo por base que a publicação tem periodicidade mensal e aborda temas diversos com profundidade, os estudantes afirmam que o projeto chega a dividir opiniões. Isso se deve ao fato de que com a internet e outros meios de comunicação, o tempo e a atenção que o leitor utilizaria para a leitura e até com as inúmeras atividades cotidianas, ocasionaria em um grande desafio. Mas Caio Bruno ressalta que “por vontade do grupo o projeto vai pra frente, mas existe a questão mercadológica que pode influenciar, mas que pretendemos sanar”.
O grupo tem projeto de viabilizar a revista na internet já que a maioria dos meios de comunicação utilizam o meio para divulgação de trabalho.
O lançamento da revista irá acontecer na quinzena de outubro.

Caroline Longue Terzi


3 comentários:

Marcus disse...

Olá Carol...
EStá de parabéns pelo texto, pois além de conseguir expôr muito bem todo o projeto você captou todas as nossas idéias.
Obrigado e parabéns novamente.

bjosss

Caio Bruno disse...

Parabéns Carol!
Obrigado.

Prof. Arquimedes disse...

Belo texto... como ajuda um gravador, né?