terça-feira, 19 de agosto de 2008



Inteligência Feminina na bolsa

Revistas que abordam assuntos decorrentes ao universo feminino e saúde existem várias em nosso país.Na maioria das vezes, as revistas acabam se tornando um apanhado de dicas sobre a ditadura da beleza e dicas fulminantes de como realizar um bom sexo.Estes são os dois principais temas abordados pela grande maioria das revistas que através de seus textos ganham um grande nicho do mercado de revistas segmentadas.Pensando contra essa linha de raciocino os jornalistas Eduardo Chaves e Deborah Silva, lançaram no ano de 2007 como projeto final do curso de Jornalismo pela USCS a revista intitulada “Bem Viver”.


A revista tem como objetivo trazer a sua leitora da classe A e B, sempre em sua edição mensal de 76 páginas o desejo de se informar sobre assuntos do cotidiano de forma bem aprofundada e dinâmica.Diferente das revistas que existem no mercado, o projeto tem como base à realização de pesquisas relacionadas a temas de saúde, comportamento e beleza, sem a mesmice das tão famosas Listas, Dicas ou Faça Você Mesmo.


Sua parte gráfica é outro diferencial.Sobre a temática de que menos é mais, a revista possui uma bela diagramação onde as formas arredondadas em tons pastéis tornam a leitora uma sensação agradável durante a leitura.Fugindo das fotos sensuais explicitas, o jornalista Eduardo acredita que o trabalho das imagens é outro fato importante para a publicação: ”A imagem precisa conversar com o texto”. A respeito da linha editorial, os textos são claros e objetivos, sem que estes percam o caráter jornalístico.

(Ricardo Ribeiro)

2 comentários:

Prof. Arquimedes disse...

Problemas nos espaçamentos entre frases, reveja repetição da palavra REVISTA no primeiro parágrafo. Confundiu leitura com leitora. Não há crase antes do masculino.

Eduardo Chaves disse...

Opa Ricardo, tudo bom contigo?

Gostei da parte: “sobre a temática de que menos é mais”. É exatamente este o nosso trabalho, o nosso objetivo foi fazer uma revista simples e clara. Isso na diagramação também. E não vamos entender a expressão “simples” como algo pobre, mas exatamente o contrário: RICO... RIQUÍSSSSIMO DE DETALHES, mas que ficam no olhar das leitoras mais atentas.

Abraços