quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Tira, Põe ou Deixa Ficar: Cota 400




A ruptura de uma conexão história de pessoas com o local onde residem será abordada no livro reportagem que está sendo produzido pelos estudantes de jornalismo Caio Caprioli, Lívia Gonzalez, Luciane Brandão, Mayara Tabone e Paula Venâncioda da USCS – Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

Na entrevista coletiva realizada na última sexta (25) os estudantes explicaram todo o processo, desde a escolha do tema até os resultados obtidos. O livro titulado “Olhares: Memórias e identidades do bairro Cota 400” discute a quebra dos laços históricos existente entre os moradores, que lá residem desde a década de 30, e o local. No início do trabalho de pesquisa a saída destes moradores daquela região ainda era incerta, mas agora já está definido, eles terão de sair.

No começo aquele era apenas um acampamento criado para abrigar trabalhadores do DER (Departamento de Estradas e Rodagem) enquanto a Via Anchieta era cravada nas entranhas da serra do mar. Mas atualmente é o lar de 644 pessoas que terão de mudar para conjuntos habitacionais da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU).

Ainda em fase de finalização o trabalho de mais de um ano de pesquisas, visitas e entrevistas será apresentado oficialmente em meados de novembro na Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

Amanda Nero

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

Boa sacada no título. Texto legal!