quarta-feira, 17 de setembro de 2008

“Jornalismo de Cordel”



Por Felipe de Paula


Há mais de cem anos ela chegou ao Brasil e conquistou os nordestinos. Atualmente continua marginalizada, ainda busca incentivo e reconhecimento e é tema de um livro-reportagem, produzido em parceria por quatro jornalistas – Adriana Catellani, Juliana Dias, Ricardo Ribeiro e Sarah Galvano - de São Caetano do Sul. Quem é ela, afinal? Em pauta, a literatura de Cordel. O trabalho foi apresentado na noite da última quinta-feira, 11 de setembro, no campus I da USCS.

O livro reportagem “Viagem pelo Cordel nos braços do Brasil” é a opção dos produtores por um formato que “permite mais pesquisa e maior apuração. O estilo de versos ritmados, métrica atraente e rimas perfeitas realmente merece uma atenção especial. “É fácil não conhecer. Não é fácil não gostar”, lembram os jornalistas como frase marcante da entrevista do presidente da ABLC (Associação Brasileira de Literatura de Cordel).

A obra é dividida em cinco capítulos que tratam de temas ligados à chegada do estilo às terras tupiniquins, assuntos explorados, uso do estilo como incentivo à educação, manifestações massificadas (adaptações no teatro, cinema, música e dança) e perspectivas para o futuro. Em cada um deles, um “abre” com versos cordelistas produzidos pelos autores.

Eles ainda enfatizaram a mudança do caráter romancista para o noticioso assumido pelo estilo. O quarteto opinou que “o Cordel precisa ser adaptado” para ganhar ainda mais fãs e popularidade.

Um comentário: