quarta-feira, 17 de setembro de 2008




Cordel é apresentado através de livro-reportagem

O grupo de alunos do quarto ano de jornalismo formado por Adriana Cattelani, Juliana Dias, Ricardo Ribeiro e Sarah Galvano; apresentou na última quinta-feira 11 de setembro, um projeto de pesquisa bastante intrigante sobre a literatura de cordel, com o tema “Viagem pelo cordel nos braços do Brasil”. O livro-reportagem conta com depoimentos de pesquisadores e pessoas ligadas à área que estão diretamente relacionadas com a cultura popular e com a Literatura de Folhetos Nordestinos.


Tratado por muitos com um certo olhar de desprezo, esse estilo é extremamente rico em cultura e diferença de regionalidades. O cordel inova e renova, segundo o grupo.


Imensidão e solidão

O grupo “Os chapas” do último ano do curso de jornalismo da Universidade de São Caetano do Sul, apresentou uma prévia de seu trabalho na área de Radiojornalismo, sobre a vida dos caminhoneiros autônomos no Brasil. De forma bastante sentimental, o objetivo é mostrar e exemplificar situações reais desses trabalhadores que têm que abdicar muitas vezes da própria família para sustentá-las e criá-las. Além da saudade pelas esposas e filhos, há ainda outros agravantes que tornam essa profissão, uma verdadeira luta diária de sobrevivência. A alta jornada de trabalho e as péssimas condições das estradas são os principais revés.

O grupo comentou que o tema foi escolhido devido a importância dos caminhoneiros para o nosso país, pois muita coisa que comercializamos e que chega até nossa casa, é transportada através dessas pessoas.

ROBSON EDUARDO PACHECO REBECHI

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

As coletivas existem justamente para o jornalista captar falas e as colocar nos textos. Onde estão elas? Fica pobre...