quarta-feira, 5 de maio de 2010

OUTRA VISÃO

Fundado no Rio de Janeiro em 1979, o Teatro Amador Produções Artísticas é dirigido por Eduardo Tolentino de Araújo que criou a peça infantil que deu início ao grupo: “Apenas um Conto de Fadas”. Como conseqüência de muitos trabalhos como os de José Wilker e Nelson Rodrigues, seis anos depois, o grupo chegou a abrir o Festival de Teatro Brasileiro.


Teatro deriva do grego e significa olhar com atenção, e é exatamente isso que o grupo TAPA vem fazendo desde 1986 em São Paulo. O trabalho de 30 anos de existência contempla 40 peças montadas, sendo 6 em cartaz e diversos prêmios como Shell, Moliére e APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte).


Todas essas premiações e 3 décadas de trabalho não é a toa, pois como tudo está sendo transformado hoje em dia, Eduardo Tolentino fez questão de adaptar o grupo à realidade brasileira e isso é o ponto chave para tanto sucesso.


A repaginada nas peças surpreende o público que nesses 30 anos também mudou o modo de pensar, os gostos e costumes e as peças na direção de Tolentino ganha mais vida, surpreende o público e atraem os jovens, como o objetivo do espetáculo “Cloaca” da holandesa Maria Goos. Na peça o nome significa o cumprimento entre os amigos na época da faculdade e o elenco é composto pelos atores André Garolli, Brian Penido Ross, Dalton Vigh e Tony Giusti.


Desde Janeiro montagens de textos brasileiros são exibidos com um novo olhar e atores bem treinados que fica difícil perceber que são realmente...atores! Aristóteles expôs a importância do modo de ver quando disse “A vista é o que nos faz adquirir mais conhecimentos, nos faz descobrir mais diferenças”. E é isso que o TAPA tenta fazer, ou seja, mostrar para o público uma outra visão, mais nova, do teatro nacional brasileiro.


Até fevereiro o grupo apresentou o Panorama do Teatro Brasileiro – 2ª Geração como comemoração aos 30 anos do projeto com encenações de dramaturgias brasileiras por atores que fizeram parte do grupo durante todos esses anos. No último 22 de Abril estrearam a peça “Vestir os Nus” escrita em 1922 por Luigi Pirandello. A estréia ocorreu do Teatro Municipal de São Carlos e continua em Suzano.


Ghost Writer: Camilla Scavone

Legenda: Peça de comédia dramática sobre ex-amigos de Universidade atrai público jovem para o teatro
Foto: Divulgação

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

Adicione também opinião no artigo, caso contrário, fica mais pra matéria...