quinta-feira, 6 de maio de 2010

Com vocês o tradicional TAPA

Um grupo de nome tradicional que se torna contemporâneo. O Teatro Amador de Produções Artísticas, se torna simplesmente o TAPA. O nome se torna contemporâneo, mas, o teatro se mantém tradicional. E assim o grupo TAPA completa 30 anos, de peças infantis à realistas, com atores experientes e jovens e se torna o maior grupo tradicionalista do país.

Fundado no Rio de Janeiro em 1979, onde permaneceu até 1986, quando partiu para São Paulo, o grupo é liderado por Eduardo Tolentino de Araujo e leva na bagagem mais de 40 peças. Nessa trajetória, ficaram marcadas interpretações de textos clássicos da dramaturgia nacional e internacional.

Em comemoração ao aniversário, o TAPA apresentou o Festival de Repertório, onde reapresentaram peças que já foram sucesso no grupo. Como sempre é TAPA pra todo lado, o grupo apresentou também o Festival Pirandello, onde apresentou peças baseadas nos contos do autor italiano inéditos no Brasil.

Alguns atores consagrados são crias do TAPA, como Rodrigo Lombardi, que, ao fazer sucesso, levou o grupo à mídia. Sem contar as participações de atores consagrados como Beatriz Segall, Dalton Vigh, Barbara Paes, entre outros.

Para iniciar na vida de ator, muitos buscam escolas de teatro como a que é oferecida pela companhia que dá a oportunidade de jovens atores aprenderem com os experientes e, muitas vezes, contracenarem com eles.

Atualmente, o TAPA está em cartaz com a peça "CLOACA" que conta com a participação de André Garolli, Brian Ross, Dalton Vigh, e Tony Giusti. A peça é uma comédia escrita pela holandesa Maria Goos em 2002 e fala sobre quatro amigos quarentões. Apesar de falar sobre coisas de homem, o texto de Maria Goos mostra muito o ponto de vista da mulher em relação ás coisas de homem.

Será preciso um TAPA para esta geração acordar para a vida e prestigiar o teatro? Se for assim, tudo bem, pois talento é o que não falta para que o grupo consiga espectadores.

Ghost Writer - Thamiris Salim

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

Título adequado e último parágrafo bem legal.