quinta-feira, 11 de março de 2010

Que país é esse?

Embora o índice de alfabetismo tenha aumentado consideravelmente nos últimos anos, a qualidade de ensino das escolas públicas não estão correspondendo. Cerca de 12% dos brasileiros ainda são analfabetos. Outros 30% da população são considerados analfabetos funcionais - capazes de ler textos sem saber interpretá-los - e um terço dos jovens com idade entre 18 e 24 anos não freqüenta escolas de ensino médio, segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese). Podemos então concluir que “o Brasil tem um dos piores sistemas educacionais do mundo”, como diz o professor Pierluiggi Piazzi.

Formado em química industrial pela Escola Técnica Oswaldo Cruz, e física pela Universidade de São Paulo(USP), Piazzi lecionou nas universidades PUC-SP, POLI-SP e UNISANTA. Além disso, preparou 100 mil alunos para o vestibular dando aulas de física no cursinho do ANGLO, onde trabalha até hoje. Mas agora sua principal atividade é visitar escolas do Brasil inteiro dando palestras para alunos, professores e pais, que procuram fazer com que a escola brasileira siga o exemplo finlandês.

Além da área educacional, Piazzi também deixou suas marcas na comunicação. Já participou de programas de televisão, como “Qual é o Grilo?” da TV Cultura, onde tirava dúvidas de alunos que telefonavam para a emissora, e apresentou o "Debate Acadêmico" da TV Educativa de Santos. No rádio, trabalhou como produtor e apresentador do programa 620 kb da Rádio Jovem Pan AM, e atualmente é colunista do programa Plug 700 da Eldorado AM.

Na imprensa escrita foi editorialista do ESTADO DE SÃO PAULO e colaborador da seção EUREKA, do DIARIO DO GRANDE ABC. Durante sua carreira Piazzi também publicou vários livros, entre eles o "Estimulando Inteligência" que contém dicas de como melhorar o sistema educacional brasileiro.


Nascido em Bologna (ITALIA), Pierluigi Piazzi, de 67 anos, conseguiu ao longo dos anos adquirir uma bagagem invejável. Sempre com bom humor, Piazzi passa seus conhecimentos de uma maneira simples, de forma que instiga o público a participar ativamente das palestras, e a prestar atenção em cada palavra dita.


Sempre falando da educação, Piazzi usa exemplos atuais, de coisas que acontecem no dia-a-dia para ajudar nas suas explicações. Isso faz com que o público se identifique com o tema e com as informações dadas, e com isso, possam refletir e se preocupar um pouco mais com o ensino dos jovens, que afinal de contas, são o futuro da nação.


Juliana Torssoni



Veículos:


Instituições de Ensino
Revista Nova Escola
Revista EXAME
Revista Galileu
TV Escola


Futura

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

Bom texto, embora o título esteja mais adequado para rtigo do que para release. Reveja grafia de O Estado de S.Paulo (jornal).