quarta-feira, 10 de março de 2010

Estimulando inteligência


Camilla Scavone

Vivemos em um Mundo onde as mudanças ocorrem com muita rapidez e muitas vezes não percebemos que acabamos mudando nossos hábitos também.


Muitos aparecem claramente na forma de falar e escrever e alguns vícios que adquirimos quando somos jovens, época que tudo é novo, o diferente chama atenção e o errado vira piada. Todos costumam conversar na aula, estudar somente para a prova (e não para aprender!) e não ler livros.


O hábito de leitura perdeu-se no tempo, mas deveria ser eternizado mesmo com o surgimento de computadores, iPhones, videogames, etc. Temos que ler aquilo que gostamos, seja qual for o assunto, porque aí criaremos mecanismos de codificação e decodificação, conheceremos palavras que não cercam nossa sociedade no dia a dia e isso n os ajudará em todas as outras questões.


O professor formado em Física e Química, Pierluigi Piazzi, também estuda a inteligência. Mais conhecido como Píer, o palestrante é membro da Mensa há anos, sociedade fundada em 1946 formada por pessoas de alto QI. Diz que as instituições, no Brasil, de todos os cursos e assuntos não estimula o aprendizado, e sim a passar de ano ou obter o diploma, como a Auto-Escola que não ensina a dirigir, mas ensinam a "tirar carta".


Píer deu aula desde o ensino fundamental até cursinhos e pós-graduações e ensinando ele aprendeu, principalmente com os alunos do cursinho, que ultimamente o ensinado é decorado, sem reflexão, sem raciocínio e não aprendem a pensar por conta própria. Associa a chegada do Windows com a regressão da humanidade, mas não critica a internet por completo, diz que de maneira correta ela é fantástica.


Lançou, em 2009, o livro "Estimulando Inteligência" em que ele dá dicas de como reverter a situação no qual o Sistema Educacional Brasileiro se encontra e explica como as escolas deveriam realizar seu compromisso real: o de ensinar inteligência. Mas não culpa somente tais instituições, culpa principalmente os familiares que não cobram conteúdo/aprendizagem, cobram notas, boletins e diplomas.


Piazzi simplifica quando diz que "Inteligência se aprende e também se desaprende. Aumenta ou diminui de acordo com os hábitos. Quanto mais tempo a pessoa passa em atividades estimulantes, melhor fica a sua capacidade de reflexão e raciocínio. Por outro lado, a maior parte das pessoas usa os poucos momentos de folga do trabalho para descansar também a cabeça, deixando que a tevê diga o que pensar e o que sentir. Assim, o cérebro se acostuma a ficar quietinho, sem incomodar."


Sugestão de veículos:


Revista Educativa
Revista Nova Estola
Revista Guia do Estudante
Jornal da APEOESP
Caderno de Educação dos principais jornais
Programa Almanaque Educação (TV Cultura)
Coluna da Paola Gentile, na Rádio Bandeirantes 840 AM
Portal Klickeducação
Portais das instituições de ensino

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

Texto bom, embora mais para matéria do que release. Vamos conversar para evitar o "nariz-de-cera" no início do texto.

Revista Nova Estola é religiosa? (rsrsrs)

Parabéns!