sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Compulsividade ao extremo

ROBSON EDUARDO PACHECO REBECHI


O grupo de estudantes “In Extenso” do quarto ano de jornalismo da USCS apresentou na última quinta-feira 25 de setembro, seu projeto de TCC sobre compulsividade e repetição doentia. O trabalho foi desenvolvido de maneira bastante agradável, apesar da dificuldade em lidar com um tema sobre o qual as pessoas que possuem tais problemas não teriam tranquilidade suficiente para exporem seus vícios. As vertentes são voltadas para vícios em jogos, comida, compras e sexo. Segundo os integrantes, aparentemente são pessoas comuns, e que dificilmente seriam reconhecidas na rua como compulsivos.


Essa repetição doentia é infinitamente diferente do que muitos pensam ser. Uma pessoa compulsiva por algo, não faz aquilo somente por prazer, e sim por necessidade de fazer e pronto. Um compulsivo sexual por exemplo, faz do sexo um motivo essencial em sua vida, incontrolavelmente.


Esse comportamento afeta aproximadamente 20 milhões de brasileiros e jamais poderá ser curado, pode sim, ser amenizado com tratamento semelhante ao oferecido aos viciados em drogas e bebidas. O grupo não apresentou detalhes de áudio do trabalho acadêmico, que foi produzido para o veículo de rádio.

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Quando usar siglas, diga o significado delas...