sábado, 25 de outubro de 2008

“Beber, cair e levantar”


Por Tales Jaloretto

“Se nessa casa tem goteira, pinga nimim” ou “Eu bebo sim, e estou vivendo. Tem gente que não bebe e está morrendo”. Dentre estes “incentivos” musicais e a polêmica questão sobre a publicidade influenciar no consumo do álcool é que as estudantes Ana Mantovani, Adriana Belvis e Poliana Sato levantam a bandeira contra o uso abusivo do álcool, e que será discorrido nesta notícia produzida a partir do release e de informações do texto do Felipe.


A partir da pesquisa de 2004 realizada pela OMS, Organização Mundial da Saúde, na qual demonstram que 2 bilhões de pessoas consomem bebidas alcoólicas, causando 3,2 % das mortes mundiais e perdendo 4 % dos anos de vida útil, (afirmação questionável) é que o documentário “Por um gole a mais” de aproximadamente 25 minutos vai abordar as conseqüências da bingue.


O TCC que será apresentado à banca no dia 24 de outubro vai contar as conseqüências do uso abusivo do álcool através de histórias inicialmente cômicas com finais trágicos, como os causos de reuniões de amigos, mas que depois terminam a noite sendo flagrados em uma blitze.


Estas e outras histórias têm o intuito de mostrar como os jovens estão iniciando mais cedo na vida boêmia, apresentando as conseqüências para a sociedade por meio da linguagem visual baseada no filme Time Code de Mike Figgs. Filme de 2000 que rompe com o tradicional modelo dos longas-metragens, produzido a partir de câmeras digitais portáteis, num plano sequência único, sem cortes nem montagens.

Um comentário:

Prof. Arquimedes disse...

Bom paralelo com o cinema. Parabéns pelo texto.