terça-feira, 13 de outubro de 2009

A vida de quem não cansa de esperar


Um telefone que não toca. Uma foto que ninguém reconhece. Uma espera que não tem fim. É assim a vida de quem busca por um familiar desaparecido. Um drama que pode acontecer com qualquer um e do qual milhares de famílias brasileiras fazem parte.


A espera dessas famílias por seus desaparecidos é o tema do radiodocumentário "Desaparecidos: Uma vida de espera", produção dos estudantes do quarto ano de jornalismo da USCS (Universidade de São Caetano do Sul), Mariano Carrillo, Renata Oliveira e Simone Máximo.


O programa, que terá em média 30 minutos de duração, irá mostrar a rotina dos familiares que há anos esperam por alguma notícia ou pista que ajude a encontrar o parente desaparecido. Além das famílias, também foram entrevistados &oac ute;rgãos públicos, psicólogos, ONGs (Organizações não-governamentais) e voluntários.


A idéia em desenvolver um documentário para o rádio focado em um tema relevante e que causasse reflexão nos ouvintes sempre foi uma prioridade para o grupo: "desde o começo queríamos trabalhar com o lado social", diz. No entanto, abordar um tema tão delicado, foi um desafio: "uma das nossas dificuldades foi conversar e entrar na vida dessas famílias, mas respeitando o limite emocional de cada um deles", conta as estudantes.


Desaparecidos: Uma vida de espera" tem estréia prevista para 11 de novembro a partir das 19h20 na USCS.


Samira dos Santos Duarte

Um comentário: