terça-feira, 13 de outubro de 2009

Esperar por alguém que talvez não venha?

Na noite de 8 de Outubro de 2009, os alunos do quarto ano de jornalismo da USCS, (Universidade de São Caetano do Sul), assistiram a assessoria do grupo de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), cujo tema é: “Desaparecidos: uma vida de espera.” O grupo desenvolveu um rádiodocumentário de aproximadamente 30 minutos, fazem parte do perfil de entrevistados, famílias afetadas, órgãos públicos, psicólogos, ONGS e voluntários. Com o objetivo de provocar no ouvinte uma série de reflexões sobre esse problema social, que muitas vezes é desconhecido pelo governo e também pela população, tratando o tema de maneira diferenciada e delicada buscam respeitar o limite emocional dos entrevistados. De acordo com o grupo fazem parte do seu público alvo, 50% homens, 50% mulheres, 37% da classe A, 42% da classe B e 21% da classe C, girando em torno de 18 e 55 anos. O lançamento oficial do trabalho está previsto para o dia 11 de novembro de 2009 a partir das 19:20 na Universidade de São Caetano do Sul.

Na assessoria foi passado um trecho do filme “Nas profundezas do mar sem fim”, com Michelle Pfeiffer, que vive no filme uma mulher que tem sua vida destruída após perder o filho pequeno na rua. O grupo dividiu com o restante dos alunos que, algumas famílias deixam de comer e ou fazer aquilo que a pessoa desaparecida gostava de comer e fazer; algumas famílias preferem ter a notícia de que seu ente querido está morto, do que simplesmente não ter notícia nenhuma. Essas pessoas, geralmente adquirem problemas de saúde que os impossibilitam de continuar vivendo. O grupo teve muitas dificuldades, uma delas foi falar com órgãos públicos; entrar a fundo na vida das pessoas afetadas, pois segundo eles, acabam tendo um discurso pronto. O foco do trabalho é a espera das famílias. Para cada pessoa desaparecida, existe pelo menos um pai e uma mãe, esperando respostas, aguardando incertezas.

Juliana Torres Bezerra

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

assistiram a assessoria?
Meio confuso...