quarta-feira, 7 de outubro de 2009

“Aprendi a me virar sozinha...”




Por Mariana Carrillo

Já dizia Ana Carolina... Como é bom morar sozinho, o seu canto, suas coisas, sua comida, seu jeito... Tudo assim, como você deixa, desse jeito estará, a carteira, chave do carro, as bagunças... Seja porque a “vida levou”, ou pela simples vontade de viver só, de 2007 para 2008, o número de domicílios com um morador subiu de 11,5% para 12%.

A rotina, a maneira como viver sozinho influência nas escolhas, na própria maneira de viver será abordado em “Vida Sozinho”, uma série de reportagens especiais produzidas por Alexei Tomassi, Audrey Bertho, Juliana Torres, Paula Belini, Samanta Oliveira e Samira Duarte, como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Em coletiva de imprensa realizada na última quinta-feira, dia 1, na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (Uscs), os jornalistas apresentaram o novo projeto.

Uma senhora que perdeu o marido e a mãe, o filho vivendo longe... Resta viver só. “Fugir” dos pais acima de tudo e qualquer preço, solução: morar sozinho. A vontade de mudar de cidade, ser independente... As histórias são muitas, e seja qual for o motivo que levaram essas pessoas a terem um “canto só delas”, o fato é que em apenas uma década, a família composta por apenas uma pessoa cresceu 70%. Não só um novo nicho de mercado – o consumidor single – esse fenômeno representa, também, uma mudança no comportamento da sociedade.

A série de reportagens está prevista para estrear em novembro.