quarta-feira, 14 de abril de 2010

Regiane Bianchini conta sua experiência e dá dicas aos estudantes de jornalismo da USCS


Os avanços tecnológicos, o crescimento do mercado mundial, a invasão de novas mídias e novas oportunidades aguçam o “paladar” humano. Os interesses estão voltados a uma boa aparência, a um bom relacionamento com os meios de comunicação de massa, e é ai que entra o papel do Assessor de Imprensa, e é nesse segmento que está uma boa oportunidade na área da comunicação.


E ninguém melhor para falar do assunto do que Regiane Bianchini, Jornalista, formada pela Universidade Metodista em 1987, com mais de 20 anos de bagagem ela atuou em empresas líderes de mercado, como: o Banco Santander e a rede francesa de supermercados, o Carrefour.


Convidada pelo professor de Assessoria de Imprensa, da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Arquimedes Pessoni, na noite do dia 8 de abril, Regiane contou um pouco de sua experiência aos alunos do 4ª ano de Jornalismo, num bate-papo bem descontraído.


Regiane acompanhou de perto, participou da privatização e fusão do banco Banespa, e soube usar a sua experiência para passar aos estudantes a necessidade de ser um profissional sensato, de zelar pela imagem do seu assessorado, de se ter jogo de cintura. Também ressaltou as dificuldades enfrentadas por ela e seus poucos parceiro profissionais na transição do banco, no momento auge das negociações e acima de tudo o cuidado ao ligar com outros amigos da profissão “que estão do outro lado do balcão”, brincou, Regiane.


Outra empresa em que Regiane Bianchini teve que “rebolar” bastante foi o grupo Carrefour que mantêm atualmente cerca de 1700 lojas em todo país e como salientou Regiane, a empresa também é campeã em processos jurídicos, bem como casos de desacertos e “ruídos” no sistema de segurança, que por várias vezes causou vários constrangimentos aos seus eventuais clientes, roubos de carros dentro do estacionamento das lojas e por ai vai, afirmou a jornalista, que também aproveitou a deixa para comentar com os estudantes questões éticas e deu dicas de como lidar em algumas situações, como evitar ruídos na comunicação, como instruir seu assessorado, a importância de expor suas idéias e muitas vezes mudar as idéias do chefe, saber o momento de certo de fazer uma coletiva, respeitar os padrões da empresa, saber o momento certo de falar, o que falar e para quem falar, comentou sobre a atenção que se deve dispensar aos colegas que estão nas redações, a importância de manter uma boa comunicação interna e externa, como se portar em momentos tensos, de crise, entre outros toques ela frisou a importância da força de vontade, e orientou aos futuros profissionais para não esperarem as coisas acontecerem, mas sim fazer as coisas acontecerem.



Elaine Reis

Um comentário:

Arquimedes Pessoni disse...

Muito bom texto. Poderia ousar mais no título.