sexta-feira, 3 de abril de 2009

O Prazer do 10




Por: MILENA IRENO VERISSIMO


O reconhecimento do valor de um trabalho é expresso apenas pelo 10? Como fica o 9,5?

Meses de esforço, milhares de palavras em relatórios e mais relatórios, alguns mil reais e horas e horas dedicadas à realização do Trabalho de Conclusão de Curso.


Qual o valor disso tudo? O valor não é expresso em reais, é expresso em nota! A nota determinada pela Banca Examinadora.


Três juízes que determinam se o seu esforço foi o suficiente para te consagrarem jornalista.


Professores e convidados que avaliam se o trabalho do seu ano inteiro merece reconhecimento.


Óbvio que todos lutam pelo 10 (pelo menos aqueles que fazem a faculdade com a intenção de extrair o melhor dela). Mas qual o significado desse número no contexto que estamos falando?


Na última quinta-feira, os alunos do quarto ano de Jornalismo receberam a visita de dois ex-alunos do curso que atingiram o tão sonhado 10.


Eduardo Chaves e Glaucia Balbachan apresentaram o resultado do seu trabalho: a revista “Bem Viver – saúde e comportamento da mulher”.


Orgulhoso do seu 10, Eduardo disse que, dificilmente iria até nossa sala apresentar seu TCC se tivesse tirado menos que 10.


Mas a constatação do palestrante, que nos faz pensar a respeito do conceito da nota, foi a de que o 10 nada influenciou a relação de Eduardo com o mercado de trabalho.


E eu digo com toda a certeza que o resultado mais importante extraímos da Universidade não é identificado com números, cifras ou qualquer outra medida.


A Universidade nos forma como seres humanos, nos faz aprender lidar com outros de nós em harmonia ligados e orientados por um objetivo comum.


Não é o TCC que nos faz profissionais, o processo de construção desse projeto nos faz! A forma com que lidamos é que faz a diferença, pois é o que processamos de tudo isso que vai conosco às entrevistas de trabalho. O 10 não fará diferença nessa hora!


Acredito que existem notas “08 com louvor”, quando o processo de construção do trabalho foi sério, proveitoso e humano. Isso a gente leva!!

Um comentário:

Prof. Arquimedes Pessoni disse...

Bom texto, pegou um detalhe da palestra e desenvolveu em formato de artigo. Parabéns!